Jimmy estuda o desenvolvimento humano na proposta educacional do Haiti

"Um profissional não se forma apenas para uma sociedade, e sim para um mundo inteiro". É o que afirma Jimmy Pierre, de 34 anos, aluno do Mestrado em Educação, oferecido pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), na unidade de Paranaíba. Ele é o primeiro aluno estrangeiro a ingressar na universidade por meio de um programa da Organização dos Estados Americanos (OEA) e a defender uma dissertação de Mestrado.

O estudante, que é de Porto Príncipe, no Haiti, ingressou no Programa de Pós-graduação em agosto de 2014. Em seu trabalho, Jimmy estuda o desenvolvimento humano na proposta educacional do Haiti, analisada a partir do enfoque Histórico-Cultural. A defesa está marcada para as 9h deste sábado, na unidade da UEMS em Paranaíba.

"Por meio desse Mestrado, dessa oportunidade que eu tive de fazer aqui na UEMS, eu consegui outra visão a respeito do desenvolvimento humano, da educação, dos valores morais, sociais e políticos", afirma.

A professora doutora Maria Silvia Rosa Santana, orientadora de Jimmy, afirma que o trabalho foi um grande desafio, tanto para ela, quanto para o aluno. "Para mim por ser um objeto de estudo que diz respeito a outro país, para Jimmy pela questão da língua. A dissertação dele foi escrita toda em português", conta.

Jimmy lembra que quando chegou em Paranaíba falava apenas francês, inglês e espanhol. "Eu tive que aprender português. Foi um pouco difícil no início, mas depois recebi muita ajuda de professores e colegas".

Para a orientadora, a experiência com o acadêmico haitiano foi muita rica. "A vinda do Jimmy para a UEMS foi muito boa, em todos os sentidos. Um estrangeiro, com outra experiência de vida, de formação, de aprendizado. Foi uma partilha muito importante para todos nós, alunos e acadêmicos de Paranaíba", afirma Maria.

Jimmy formou-se na graduação na Escola Internacional de Educação Física e Esporte, localizada em San José de las Lajas, em Cuba. No Brasil, conheceu universidades em diversas cidades como São Paulo, Brasília, além das cidades de Mato Grosso do Sul, como Campo Grande e Dourados.

A assessora de relações internacionais da UEMS (ARELIN), Silvana Moretti, lembra que Jimmy conseguiu a vaga em um processo seletivo com 157 candidatos. "Ele se esforçou muito. Durante o mestrado, ensinou francês e inglês para a comunidade. Jimmy é o exemplo de que esse convênio com países da América Central e América do Sul, além do México, é extremamente positivo".

Ainda segundo a assessora, atualmente, outros dois alunos que ingressaram na UEMS por meio desse programa, um da Guatemala e outro da Colômbia, estudam nas unidades de Dourados e de Campo Grande.

"Esses alunos levam o nome da UEMS para fora do Brasil e fortalecem o processo de internacionalização. Por meio destes programas, a universidade começa a ter visibilidade. A internacionalização é um processo novo dentro das universidades, é um processo que não tem volta", explica Silvana.

"Eu agradeço muito a UEMS, a Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundect) que também me ajudou, a OEA e ao grupo Coimbra. Tudo o que eu aprendi foi graças a essa oportunidade, que vou levar por toda a vida", diz o estudante. Sobre o futuro, Jimmy conta que pretende fazer Doutorado em um país da América do Norte, como o Canadá, ou da Europa.

Convênios - Atualmente, a UEMS participa de dois programas para receber alunos estrangeiros no Brasil, o Programa de Estudantes - Convênio de Pós-Graduação (PEC-PG) e o Programa de Alianças para a Educação e a Capacitação (PAEC), oferecido por meio da OEA e do Grupo Coimbra.

O PEC-PG é uma ação do Ministério das Relações Internacionais, em parceria com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) que oferece bolsas de Doutorado pleno, em universidades brasileiras, a professores universitários, pesquisadores, profissionais e graduados do ensino superior dos países em desenvolvimento com os quais o Brasil mantém Acordo de Cooperação Educacional, Cultural ou de Ciência e Tecnologia.

O PAEC, oferecido pela OEA e pelo Grupo Coimbra, oferece bolsas para realização de cursos completos de pós-graduação stricto sensu, mestrados e doutorados. Seu principal objetivo é contribuir com a integração e o fortalecimento regional das Américas, por meio da qualificação de profissionais, principalmente daqueles oriundos de países de baixo nível de desenvolvimento humano.

Fonte: Da Redação


Deixe seu comentário