O locutor Deva Pascovicci e o comentarista Mário Sérgio estão entre os 20 profissionais de imprensa
Com 76 mortos, o acidente com o avião que levava a delegação da Chapecoense para a final da Copa Sul-Americana é, ao mesmo tempo, a maior tragédia do esporte e do jornalismo brasileiro. A aeronave, que caiu em Cerro Gordo, entre as cidades de La Union e La Ceja Del Tambo (a 40 km de Medellín), levava atletas, integrantes da comissão técnica, convidados do time e 21 jornalistas brasileiros que cobririam a partida contra o Atlético Nacional (COL). Dos profissionais de imprensa, apenas um sobreviveu. O jogo de quarta-feira (30) seria o primeiro dos dois da final da copa Sul-Americana.
 
Seis profissionais do canal FOX Sports, três da TV Globo, quatro da RBS, um do Globoesporte.com e sete jornalistas de rádios de Chapecó estavam no avião. Entre os nomes mais conhecidos estavam o repórter Victorino Chermont, o narrador Deva Pascovicci e os comentaristas Paulo Julio Clement e Mário Sérgio (ex-jogador), todos do canal FOX Sports.
 
O avião que sofreu um acidente enquanto transportava a equipe da Chapecoense era de modelo Avro Regional Jet 85 (RJ-85), também conhecido como Jumbolino. Segundo sites especializados em aeronaves, a aeronave de matrícula CP-2933 tinha 17 anos e era o único da companhia aérea boliviana Lamia. No momento da queda, tinha 72 passageiros e nove tripulantes.
 
Apenas seis pessoas conseguiram sobreviver: os goleiros Danilo e Follmann, o lateral Alan Ruschel, o jornalista Rafael Henzel (Rádio Oeste Capital), o técnico da aeronave chamado Erwin Tumiri e a comissária de bordo identificada como Jimena Suarez. Mais tarde, autoridades colombianas confirmaram que o zagueiro Neto também foi encontrado com vida. Danilo, no entanto, não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital.
 
 
Os jornalistas a bordo:
 
Victorino Chermont (Fox Sports)
Rodrigo Santana Gonçalves (Fox Sports)
Deva Pascovich (Fox Sports)
Lilacio Júnior (Fox Sports)
Paulo Clement (Fox Sports)
Mario Sergio Pontes de Paiva (Fox Sports e ex-jogador)
Guilher Marques (Globo)
Ari de Araújo Júnior (Globo)
Guilherme Laars (Globo)
Giovane Klein (repórter da RBS TV de Chapecó)
Bruno Mauro da Silva (técnico da RBS TV de Florianópolis)
Djalma Araújo Neto (cinegrafista da RBS TV de Florianópolis)
Adré Podiacki (repórter do Diário Catarinense)
Laion Espindula (repórter do Globo Esporte)
Rafael Henzel (Rádio Oeste Capital - sobrevivente)
Renan Agnolin
Fernando Schardong
Edson Ebeliny
Gelson Galiotto
Douglas Dorneles
Jacir Biavatti

Fonte: Correio Brasiliense


Deixe seu comentário