A equipe formada por técnicos do Instituto Fraunhofer, da Alemanha, classificou o ISI Biomassa (Instituto SENAI de Inovação em Biomassa), que está sendo construído pelo SENAI em Três Lagoas (MS), como um dos melhores do Brasil no oferecimento de pesquisa de ponta e suporte às indústrias já estabelecidas, além de ser um elo para trazer novidades ao mercado.
 
A avaliação, que foi realizada na semana passada e teve a participação de uma equipe do SENAI Nacional, analisou o grau de maturidade da gestão do ISI Biomassa, que, apesar de a unidade física ainda estar em construção, já atende empresas com a elaboração de projetos.  De acordo com o gerente de tecnologia e inovação do SENAI, Leandro Gustavo Schneider Neves, foi uma grata surpresa. “O nosso ISI Biomassa foi bem qualificado e subimos dois níveis de maturidade. Estamos fora da curva estabelecida e para melhor”, comemorou.
 
Para Leandro Neves, o resultado dessa avaliação se deve ao esforço da equipe, que está fazendo um ótimo trabalho, principalmente, nos aspectos de gestão e de qualidade no atendimento ao cliente. “O SENAI está sendo considerado um dos mais evoluídos da rede de Institutos do SENAI Nacional, que são 25 no total.  Além da avaliação, também fizemos um planejamento estratégico para as ações de 2017”, informou.
 
A diretora do ISI Biomassa, Carolina Andrade, afirma que os resultados fazem com que o Instituto receba um pacote de benefícios e reconhecimento por parte do Departamento Nacional do SENAI, como a participação em treinamentos, ida a eventos internacionais, entre outras coisas. “Agora temos esse reconhecimento não só por parte do SENAI Nacional, como também pelo Instituto Fraunhofer. Estamos com mais de 16 projetos em andamento, já temos projetos concluídos, uma base e escritório de transferência de tecnologia. Tudo isso é parte da estrutura necessária para ir adquirindo um grau de maturidade”, garantiu.
 
Para Carolina Andrade, ter subido dois níveis desde a última avaliação significa que o ISI Biomassa é capaz. “Nos orgulhamos de ter saído de um projeto do zero, da pedra fundamental e hoje estarmos com esta unidade operacional que é um sucesso, com vários projetos atendendo tanto empresas nacionais de grande porte quanto as pequenas, que são parte do nosso negócio”, avaliou.
 
Na visão do diretor-técnico do SENAI, Gilberto Evídio Schaedler, essa avaliação positiva vem para confirmar que os investimentos que estão sendo feitos para estruturar o ISI Biomassa vão refletir em um melhor atendimento às indústrias. “Estamos no caminho certo e o objetivo é que as empresas se desenvolvam e tenham maior tecnologia aplicada para promover a competitividade industrial do nosso Estado. Isso mostra nossa capacidade técnica, oferecendo esse apoio para que as indústrias consigam implementar ações e processos em seus produtos obtendo melhores resultados”, conclui. 
 

Fonte: Daniel Pedra UNICOM / SFIEMS - Assessoria de Imprensa


Deixe seu comentário