Forças de Segurança do MS vão trocar informações com os EUA.
Método usado pelos Estados Unidos para impedir  droga que sai do México de entrar no país poderá ser adotado por Mato Grosso do Sul, para fechar o cerco contra o tráfico na fronteira. A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) participa nesta semana de uma ação de troca de experiências com Centro de Inteligência (EPIC) em El Paso e Houston, ambas localizadas no estado do Texas (EUA).
 
Um dos representantes da Sejusp que está participando dessa ação é o Delegado Luiz Sérgio da Silva, superintende de inteligência, que destacou que o objetivo é conhecer novas técnicas de combate ao tráfico junto ao DEA (Droug Enforcement Administration), e inseri-las nas ações realizadas pelas forças de segurança pública dentro de Mato Grosso do Sul.
 
“Nosso trabalho nessa viagem é conhecer as técnicas utilizadas pelas autoridades americanas na fronteira com o México no combate ao tráfico internacional de drogas, e poder inserir essas ações dentro das operações realizadas de maneira estratégica pelas forças de segurança pública no Estado”, afirmou o superintendente.
 
Dados apontam que em 2015 foram apreendidos, apenas pelo Estado, cerca de 280 toneladas de drogas, e em 2016, apenas no primeiro semestre desse ano já foram apreendidos mais de 150 toneladas de drogas.
 
Além disso, Mato Grosso do Sul faz fronteira com Paraguai e Bolívia, que são países que servem de rota para o tráfico internacional de drogas. Hoje cerca de 80% das apreensões de drogas feitas no Brasil são realizadas no Estado.
 

Fonte: Da Redação


Deixe seu comentário