Vídeo foi divulgado por meio do WhatsApp
Inconformado com a determinação de Cintia  D. em não reatar o casamento, Flávio R. divulgou nos últimos dias uma série de vídeos em que o casal aparece em cenas intimas, “nos tempos de paixão”. O fato não aconteceu em Aquidauana, mas reproduz uma prática comum nesses tempos de popularização das mídias sociais, especialmente o rápido e prático WhatsApp.
 
Coincidentemente, na cidade de 7 Quedas, uma jovem de 21 anos começou, nos últimos dias, a ser vista em cenas pra lá de calientes com o seu ex, em vídeos postados por ele mesmo, depois que se recusou a reatar o casamento. Neste caso, houve registro de Boletim de Ocorrencia, na Delegacia de Polícia Civil da Cidade, localizada a 604 quilômetros de Aquidauana. Ela resolveu deixar o marido, há três meses, por conta de suas constantes agressões.
 
Alguns aquidauanenses e transeuntes consultados sobre determinadas ações de vinganças ou pura maldade de ex-maridos, ex-noivos, ex-namorados, entendem que isto é “o cúmulo da baixaria” (definição de Andreia S., 32). “Com tanta mulher na cidade, a melhor coisa é deixar quieto e partir para outra”, afirma Eduardo W., 35, em trânsito pela cidade. Para ele, pior ainda é aqueles que tiram a vida de um ex-parceiro ou parceira, com a velha tese de que “se não for meu ou minha, não será de ninguém!”
 
Para o pastor e jornalista Vivaldo Silva, que já pastoreou em Aquidauana e foi assessor do prefeito Fauzi Suleiman no início de sua gestão, o desejo de posse de alguns é doentio e pode gerar mais do que esta exposição do outro, de forma depreciativa, como tem sido comum nas mídias sociais. “Isto requer que aqueles que buscam relacionar-se tenham o cuidado de buscarem saber o máximo possível quem é esse outro ou essa outra”.

Fonte: da Redação


Deixe seu comentário