Pouco mais de um mês após ter sido atingida por um raio, Cleonice Paixão, 58 anos, moradora do Distrito de Arapuá, em Três Lagoas, sofre com as sequelas deixadas pela descarga elétrica.
 
Em meados de dezembro do ano passado, ela estava em sua casa, quando um raio atingiu o imóvel. Os disjuntores e transformadores não foram o suficiente para segurar a descarga e a dona de casa foi atingida em cheio.
 
Na ocasião, ela foi socorrida pelo esposo e levada ao Hospital Auxiliadora, onde chegou com dificuldades de respirar. Ela ficou vários dias internadas, recebeu alta, mas até hoje é acompanhada por equipe médica do Posto de Saúde, localizado em Arapuá, já que seus rins foram comprometidos.
 
Hoje, ela guarda os sinais das queimaduras, principalmente nas mãos e nos pés, mas agradece a Deus por ter sobrevivido. “Eu não me lembro de muita coisa, mas sou grata a Deus, porque hoje eu tenho noção dos riscos que sofri”, disse.
 
Ela, junto ao seu esposo, continua morando no mesmo lugar, em uma fazenda, localizada no Distrito de Arapuá.

Fonte: Correio do Estado


Deixe seu comentário