Cerca de 150 servidores municipais de Corguinho, distante 96 quilômetros de Campo Grande, ainda não receberam o salário referente ao mês de dezembro, que deveria ter sido pago até o quinto dia útil de janeiro. A justificativa para o atraso é o suposto sumiço de cerca de mais de R$ 530 mil da conta da Prefeitura.
 
A ex-secretária de Finanças do Município, Lizete Martins Araújo, afirma que ao entregar a administração, a gestão do ex-prefeito Dalton de Souza Lima (PMDB) deixou em caixa R$ 538.423 mil de recursos próprios. O valor deveria ser utilizado no pagamento da folha salarial dos servidores que, segundo ela, girava em torno de R$ 200 mil, e no acerto de rescisões trabalhistas, que somavam cerca de R$ 80 mil. Lizete relata ainda que R$ 376 mil referentes a recursos de programas estaduais e federais ficaram à disposição da atual gestão. Extratos bancários enviados pela antiga gestão comprovam os números informados pela ex-secretária. 
 
A atual prefeita, Marcela Ribeiro Lopes (PSDB), contraria as informações e contesta o valor os valores informados pela ex-secretária. “Este valor informado não confere. O dinheiro deixado em caixa não paga o salário dos trabalhadores”, diz.
 
A prefeita tucana não soube informar quanto havia em caixa quando assumiu a administração da cidade, nem o valor da folha de pagamento que está atrasada. Ela se comprometeu a enviar comprovantes mostrando uma situação diferente da relatada pela ex-secretária até esta quarta-feira.
 
De acordo com a prefeitura de Corguinho, o salário atrasado será parcelado.
 

Fonte: Midiamax


Deixe seu comentário