Prefeito eleito em Anastácio, Nildo Alves de Albres, procurou a Delegacia de Polícia Civil da cidade para relatar que foi extorquido. O crime teria sido cometido por um pastor que, ao lhe entregar convite de festa religiosa, exigiu uma novilha como doação para o churrasco, sob ameaça de que, caso não o fizesse, seria denunciado por crimes políticos.
 
Se sentindo constrangido com a situação, Nildo registrou boletim de ocorrência por extorsão. Ele disse que estava em casa no final da tarde de ontem, em uma fazenda localizada próximo ao trevo da BR-419, quando recebeu a visita do pastor que lhe entregaria um convite para a festa.
 
No entanto, ao entregar o convite, o pastor pediu a doação de uma novilha para o churrasco. O morador agradeceu, mas disse que não poderia doar, momento em que o pastor se exaltou e passou a exigir, alegando que teria prestado apoio político ao eleito e que este, por sua vez, deveria retribuir, ou então seria denunciado crime eleitoral. Por este motivo, o Nildo procurou a polícia para resguardar seu direito.  A fortuna declarada por ele durante campanha aproxima-se de R$ 50 milhões

Fonte: Da Redação


Deixe seu comentário