Luiz Alves Martins Filho, o “Nando”, 49 anos. (Foto: Marcos Ermínio/ Arquivo)
Assassino frio, macabro, mas que se considerava um “justiceiro”. Luiz Alves Martins Filho, o “Nando”, 49 anos, não pode ser considerado um serial killer “comum”. Ele não seguia um “modus operandi”, como, por exemplo, uma assinatura. Segundo a polícia, o "matador" também não tinha um “motivo” específico para os crimes. Matava pelos mais variados motivos e, principalmente, "porque gostava de matar".
 
“Ele não recebia nada pra matar, não ganhava por isso, matava por gosto e depois voltava às covas para contemplar o que tinha feito”, contou a delegada responsável pelo caso, Aline Sinott, da Deaij (Delegacia de Atendimento à Infância e a Juventude).
 
Os primeiros registros de desaparecimento começaram em 2012 e Nando chegava a receber o “convite” dos outros membros do grupo de extermínio para “matar vagabundo”. Ele está diretamente envolvido com 13 assassinatos no Danúbio Azul. Como descrito abaixo:
 
1 – Daniel Gomes de Souza, 17 anos - desapareceu em dezembro de 2012. Foi morto porque era usuário de drogas.
 
2 - "Alemão", ainda não identificado - morto por Nando e Jean há quatro anos, porque vendeu uma televisão furtada para Nando, e o dono acabou o cobrando. 
 
3- Bruno Santos da Silva, 18 anos - era usuário de drogas e costumava furtar casas no bairro. Sumiu em 2013. Foi morto porque tirou sarro de um sobrinho do Nando.
 
4 - Jhennifer Luana Lopes, 16 anos – desapareceu em junho de 2014. Foi morta porque era viciada e furtava.
 
5 - Daniel de Oliveira Barros, 28 anos – usuário de drogas. Furtava moradores do bairro. Foi morto em março de 2014, com golpe de chave de fenda no pescoço.
 
6 - Flavio Soares Corrêa, 25 anos – sumiu em abril de 2015. Era usuário de drogas, cometia furtos, mas teria sido morto por ser "afeminado".
 
7 - Eduardo Dias Limas, 15 anos - “Eduardinho” – desapareceu em dezembro de 2015. Era usuário de drogas e morreu após furtar garrafas de um bar que Nando estava montado.
 
8 - "Café", ainda não identificado - morto por Nando, Jean e Michel, porque devia dois fretes para o Nando no valor de R$ 170.
 
9 - Alex Alves da Silva Santos, 18 anos, “ladrão” – era usuário de drogas. Tinha hábito de furtar no bairro. Sumiu em março, após ser morto por Nando e Vagner.
 
10 - Aline Farias da Silva, 22 anos – era garota de programa, amiga de Nando, pois ele arrumava clientes para ela. Mãe de dois filhos, foi morta em março deste ano, depois de receber por um programa e não fazer.
 
11 - Jhenifer Luana Lopes, 16 anos – desapareceu em março de 2016. Foi morta porque praticava furtos na região.
 
12 - Lessandro Maldonado de Souza, 13 anos - morto em agosto de 2016, por que viu a cunhada, Talita, fazendo carinho em um traficante e ameaçou contar para o marido dela.
 
13 - Ana Claudia Marques, 37 anos – mãe de seis filhos, sumiu em setembro deste ano. Morta por Nando por ter sido uma das primeiras a fornecer droga para viciar moradores do bairro.
 
14 - Valdelei Almeida Junior, 20 anos, "Juninho" – foi morto em março deste ano, mas não por Nando. Porém, é considerado vítima do grupo porque Nando tentou matá-lo em 2013.
 
Lista – As escavações no "cemitério" do grupo devem continuar. Já que a polícia ainda busca os restos mortais de Flavio Soares Correia, Jhennifer Lima da Silva, Eduardo Dias Lima, Jhennifer Luana Lopes e Daniel Gomes de Souza.

Fonte: Campo Grande News


Deixe seu comentário