Um dos cenários da violência
Não sabemos quantas crianças nasceram em Sinop entre a segunda e terça – 31 de janeiro e 1º de fevereiro de 2017 – mas a população nunca será como projeções indicavam no último domingo: 134.934 habitantes. Isto porque as últimas horas foram de extrema violência na cidade, que fica a 408 quilômetros de Cuiabá. Sete pessoas foram assassinadas e várias outras foram baleadas, num espaço de tempo que pode ser considerado como um dos mais violentos em sua história.

Tudo começou na noite desta segunda, 31, com o assassinato, na Rua das Ameixeiras, no Jardim Celeste, de um homem conhecido por “Maranhão”. Um jovem que estava com ele foi baleado, sendo encaminhado ao Hospital Regional. Os autores, que efetuaram vários disparos na direção dos dois, estavam de Motocicleta. Não foram identificados e saíram rapidamente do local. Na Rua dos Esportes, no Bairro São Cristóvão, enquanto isto, um adolescente de 16 anos sofria uma tentativa de assassinato. Com cinco tiros alojados no corpo, foi encaminhado ao Hospital Regional.


A noite de terror estava apenas começando, pois logo em seguida, na Rua 10, do Bairro Boa Esperança, um jovem de 18 anos, não identificado, foi alvejado, morrendo no local. Coincidentemente, dois indivíduos, a bordo de uma motocicleta de cor escura, efetuaram os disparos. Na Rua da Paz, no Parque das Araras, outra execução. Desta vez perdeu a vida um jovem de 21 anos. Ele estaria na frente de sua residência. Sua mãe ouviu o barulho de uma Motocicleta, seguindo-se vários disparos. Ao sair, deparou-se com o filho, já morto.


Se o fim de noite foi trágico, o início da terça, em seus primeiros minutos, não foi diferente. Mais dois assassinatos aconteceram. Um, na Rua dos Guapuruvus, no Bairro Jardim Violetas. Um cidadão que por lá transitava foi atingido por tiros na cabeça, nas costas e no peito, morrendo no local. Outro, na Rua Marte, no Bairro Sebastião de Matos I. A vítima, de 21 anos, estava dentro de casa, quando foi chamado para fora, recebendo os disparos. Não teve tempo para qualquer reação, morrendo instantaneamente. Já Rua Projetada I, na Vila Mariana, um rapaz foi vítima de disparos de arma de fogo. Encaminhado para o Hospital Regional, não corre risco de morte. E quando o terror parecia terminar, na manhã desta terça, 31, mais uma execução. Desta feita um casal morador de uma residência localizada na rua dos Cambuís, do bairro Jardim das Azaléias, foi encontrado morto por moradores. A execução teria ocorrido enquanto dormiam.


No total, sete mortes e três tentativas. Em algumas das abordagens, um mesmo modus operandi: dois homens, aparecendo repentinamente, utilizando uma motocicleta. A Polícia ainda não tem respostas. E não afirma se existe relação entre as vítimas de um interregno entre uma noite e outra que já é considerado o mais violento da história de Sinop. De certo apenas a predominância do medo entre as pessoas.

 

Fonte: Vivaldo Silva para O PANTANEIRO - Fotos de Visão Notícias


Deixe seu comentário