Um jeito diferente de celebrar missa, com um “q” a mais, fez com que a comunidade católica em Dois Irmãos do Buriti reascendesse a fé e voltasse a frequentar as Missas.
 
Muito além de envolver os católicos de Dois Irmãos do Buriti, o padre Benedito de Oliveira, 44 anos, conquistou a confiança e atraiu para a pequena cidade interiorana de Mato Grosso do Sul, fieis de diferentes cidades e estado.
 
Vindo de Santo Amaro/SP o Padre da Renovação Carismática já celebrou missa junto ao padre Marcelo Rossi, em estádios aglomerando mais de 20 mil fieis em uma única missa.
 
Ao falar com nossa reportagem sobre seu retorno para Santo Amaro o padre deixou claro que é uma ação normal da Igreja Católica e explicou: “Bodoquena também teve que entregar padre. O que acontece é que tem paróquia com 04 padres e os 02 que estavam em Campo Grande fazendo tratamento de saúde voltaram para Dois Irmãos do Buriti, assim meu contrato não será renovado e volto para minha Diocese de origem”, explicou o padre Benedito.
 
Mesmo sendo uma situação normal dentro da rotina de padres, a transferência do padre gerou polêmica, virou quesito de protesto e até mesmo de indignação no meio dos fieis. Muitos reprovam!
 
Nossa reportagem entrou em contato com alguns fieis de Dois Irmãos do Buriti que foram unânimes em dizer que: “Dois Irmãos irá perder, nós, enquanto comunidade católica, estamos triste. Venham vocês conferir de perto o que estamos dizendo”, destacaram.
 
A verdade é que padre algum pode permanecer por muitos anos na mesma cidade e assim, após 08 anos o padre Benedito deve deixar Mato Grosso do Sul em março. A próxima Missa de Cura e Libertação a ser celebrada neste mês de janeiro será dia 21, às 19 horas.
 
“Da dó, ele libertou dois irmãos meu e várias pessoas. Ele libertou o coração de muitos fieis e assim a igreja que estava no fundo, quebrada está reconstruída, ele dá exemplo, ele é maravilhoso! Pessoas que não iam mais a missa voltaram a ir, porque a missa dele realmente é muito boa”, contou a moradora e fiel Darci Ribeiro, 71 anos.
 
Nossa reportagem entrou em contato na Cúria, porém não obteve retorno até o fechamento desta matéria.

Fonte: da redação


Deixe seu comentário