O Governo de Mato Grosso do Sul, por meio da Secretaria de Estado de Produção e Agricultura Familiar (Sepaf) e da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro), lançou nesta terça-feira (1º), em Campo Grande, a segunda etapa de vacinação contra a febre aftosa no Estado. A meta é vacinar mais de 9,5 milhões de bovinos e bubalinos com até 24 meses de idade nas regiões do Planalto e de Fronteira.  Na região do Pantanal, produtores que optaram pela vacinação em novembro devem imunizar todo o rebanho.
 
As vacinas devem ser aplicadas entre os dias 1º e 30 de novembro. Segundo o diretor-presidente da Iagro, Luciano Chiochetta, a segunda etapa da campanha, com animais de até dois anos de idade, ocorre nesse período para garantir que bovinos e bubalinos que nasceram após a primeira etapa de imunização recebam a primeira dose vacina. “Esses animais com até dois anos de idade possuem a imunidade menor e devem ser vacinados a cada seis meses, com no mínimo três doses”, contou. Ainda conforme Chiochetta, essas regras estão previstas no Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).
 
Em Mato Grosso do Sul, o índice de cobertura vacinal na última campanha foi de 99,4%, valor que vem evoluindo a cada ano. “É o terceiro melhor resultado do País”, destacou a vice-diretora-presidente da Iagro, Marina Dobashi. De acordo com ela, para atender os produtores de fronteira e manter a excelência do serviço oficial de defesa animal em Mato Grosso do Sul, o Governo do Estado equiparou este ano as estratégias de vacinação das regiões do Planalto e de Fronteira. “A vacinação de animais com até dois anos nessas duas regiões será feita em novembro. Antes, a campanha iniciava primeiro na fronteira e depois de 30 dias começava no Planalto”, explicou. A mudança no calendário foi aprovada pelo Mapa.
 
Estado livre de aftosa
 
Desde 2006 Mato Grosso do Sul não registra focos do vírus da febre aftosa. Em 2008 o Estado recebeu o status de zona livre da doença. “Todo esse esforço é fundamental, já que a base da economia estadual é a atividade agropecuária”, falou o secretário Estadual de Produção e Agricultura Familiar, Fernando Lamas. Para ele, a campanha de vacinação é ferramenta que mantém a excelência da defesa sanitária animal no Estado. “Essas ações também são ideais pra que para que possamos ocupar um mercado consumidor de carne cada vez mais competitivo”, completou.
 
Nesse contexto, a chefe da divisão de defesa agropecuária da Superintendência Federal de Agricultura (SFA) do Mapa em Mato Grosso do Sul, Juliana Fernandes, destacou que, no Brasil, o maior número de plantas frigoríficas que exportam carne in natura para os Estados Unidos está em Mato Grosso do Sul. “Esse ano, produtores da Zona de Fronteira também foram habilitados para exportar para países da União Europeia”, comemorou.
 
Períodos de vacinação
 
O Estado tem dois períodos oficiais de vacinação contra febre aftosa – para efeito de planejamento, execução e controle sanitário animal – nas três regiões sanitárias: Planalto, Pantanal e Zona de Fronteira.
 
Nesta segunda etapa da vacinação, as regiões do Plantal e de Fronteira aplicam a vacina entre 1º e 30 de novembro, com o prazo de 1º de novembro a 15 de dezembro para o registro. Já a região do Pantanal vacina de 1º de novembro a 15 de dezembro, e registra de 1º de novembro a 30 de dezembro.
 
Em todos os casos, o registro da vacinação deve ser realizado diretamente pelo produtor no site www2.iagro.ms.gov.br, ou em casos específicos, e a critério da Iagro, em seus escritórios locais.
 
Lançamento
 
O lançamento da campanha ocorreu na sede da Embrapa Gado de Corte, em Campo Grande, e contou com as presenças do titular da Sepaf, Fernando Lamas, representando o governador Reinaldo Azambuja; do diretor-presidente e da vice-diretora presidente da Iagro, Luciano Chiochetta e Marina Dobashi; do chefe geral da Embrapa Gado de Corte, Cleber Soares, e do presidente da Famaul, Maurício Saito, além de mais autoridades do setor.
 

Fonte: Bruno Chaves, da Subsecretaria de Comunicação do Governo do Estado


Deixe seu comentário