Atração diária do 13º Festival América do Sul Pantanal, o espaço Pantanal Criativo traz para Corumbá produtos dos setores do artesanato, moda, gastronomia e literatura que têm o Pantanal como referência identitária e relação com a cultura local, para exposição e comercialização.
 
A idealizadora do projeto, Cláudia Medeiros, afirmou que a experiência de realização do espaço, que acontece pela primeira vez no Festival, está sendo maravilhosa. “Foi bem acolhida a idéia. O público se surpreendeu de ver tantos produtos com referência pantaneira. No sábado passaram sete mil pessoas para conhecer os produtos dos 20 expositores dos municípios pantaneiros de Ladário, Corumbá, Miranda, Bodoquena, Rio Verde de Mato Grosso e Bonito”.
 
Cláudia diz que um dos objetivos é fortalecer o vínculo entre os municípios e a troca de experiências. “Na economia criativa isso é fundamental. Estou bem contente com o resultado desse trabalho que a gente tem feito em parceria com o Governo do Estado, Sebrae, Fecomércio e os municípios, que aderiram a essa proposta e estão aqui presentes”.
 
Um dos expositores, Daniel de Jesus Martins é presidente da Associação de Artesãos de Bodoquena e trouxe trabalhos em biscuit com bichos pantaneiros, porta-copos em couro, quadros em técnica japonesa que representam pássaros e aves do pantanal feitos em papel de seda, chapéus de fibra de bananeira, de fibra de taboa e carrinhos de boi de madeira. Ele fala que em Bodoquena existem 86 artesãos com carteirinha e que a cidade está descobrindo agora o artesanato. “A gente busca aqui a divulgação do Pantanal, vem sempre participando para que tenhamos o reconhecimento dos visitantes. A participação está sendo válida”.
 
 
Kalu é produtor cultural da Casa do Artesão de Bonito e diz que neste município o espaço acolhe por volta de 17 artesãos. Ele trouxe bolsas bordadas em lona com temáticas pantaneiras, terços feitos de sementes, bichinhos de madeira para montar e desmontar e cabaças pintadas. “Está sendo uma boa experiência expor aqui, muito além do que esperava no sentido da aceitação do produto e da integração com as pessoas. O espaço proporciona integração com o Festival. Espero que tenha vários eventos como esse nos próximos festivais”.
 
 
 
Gustavo Victor Vêsparo  Ojeda trouxe para o Pantanal Criativo a linha de cosméticos Anna Mattos, feitos à base de barbatimão. “Noventa por cento das espécies de barbatimão estão na América Latina. A gente processa a casca da árvore e faz o extrato que tem tanino, é adstringente e cicatrizante. Nossa linha de cosméticos contém sabonetes, creme corporal e creme para as mãos. Aqui neste espaço alcançamos visibilidade para mostrar o potencial do bioma do nosso Estado, para que todos saibam que Mato Grosso do Sul consegue ter empreendimentos de qualidade”.
 
A Embrapa Pantanal trouxe o mel do pantanal para degustação. Vanderlei Donizete dos Reis é pesquisador em Apicultura da Embrapa e trouxe o mel com o objetivo de “desmistificar que no Pantanal não se produz mel de qualidade. Somos a primeira identidade geográfica do Centro-Oeste e a primeira em mel do Brasil. Estamos aqui para mostrar a biodiversidade do Pantanal. O diferencial do mel do Pantanal é a florada, pois o Pantanal tem baixa industrialização, é o bioma mais conservado e o ambiente é favorável, pois o produto é muito próximo do orgânico”.

Fonte: Karina Lima


Deixe seu comentário