Ele se juntou à família O PANTANEIRO ainda quase na adolescência. Foi entregador de jornal, depois começou a trabalhar em nossa produção. Foi servir o Exército. Terminado o período voltou a trabalhar na produção do jornal e serviços gráficos. Aprendeu todos os serviços e tornou-se um grande profissional. Paciente, dedicado, caprichoso, inteligente, cordato, conhecido pelos muitos qualificativos que tinha.

Antônio Barbosa dos Santos, foi um grande companheiro. . .

Casou-se com a professora Luciene – nasceram os três filhos – Alan, Carol e Aline; os genros Felipe e Renato; os netos Henrique e Anne.

Muito inteligente, matriculou-se no Curso de História da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e formou-se professor. Não deixou o jornal – por quem era muito dedicado.

Ele era o mais inteligente, dedicado e forte de todos nós. Entendia de todas as máquinas e passos de um serviço gráfico até o acabamento final.
De repente. . . de repente. . .

Ficou doente – os médicos começaram a atende-lo. . . muitos remédios. . . infindáveis viagens a Campo Grande. . . a torcida de todos nós para que ele logo se recuperasse.
Ele sempre visitava o jornal e nós acreditávamos que ele estava se recuperando. . . nós queríamos que isso acontecesse. . . todos nós torcíamos pra isso e para que ele logo voltasse a conviver conosco.

Ele melhorava de saúde – fazia quimioterapia. . . depois outras complicações... ficou inchado ... se recuperou . . . depois veio a fraqueza. . . ficou mais fraco. . . os médicos tentaram e depois desistiram. . .

Nesse período a família passou por uma grande tristeza – muito sofrimento de todos – e nós também, torcendo para que ele se recuperasse.

Nesta semana foi sedado – as dores não cessavam e até medicamentos fortes não faziam efeito.

As dores persistiam – estava sedado.

Nesta tarde o nosso grande amigo e companheiro – Antônio Barbosa dos Santos não resistiu e veio a falecer em Campo Grande, no Hospital El Kadri onde estava internado.
O corpo deverá chegar a Anastácio nesta noite de sexta-feira, 11. O enterro deverá ser no sábado.

Nós da família O PANTANEIRO também mergulhamos num mar de tristeza. Em círculo fizemos primeiro uma oração e depois o Pai Nosso. Terminou cada um lembrando do nosso companheiro ANTONIO que conosco conviveu e que jamais o esqueceremos.

O velório será na Igreja Templo Bethesda, na rua Alcântara sem numero, Bairro Afonso Paim em Anastácio, que começará a partir das 3h. O sepultamento será as 16h no cemitério municipal.

À família enlutada as nossas condolências.

Fonte: Da Redação


Deixe seu comentário