Sindicato durante manifesto com policiais em Miranda.
Munido de faixas, cartazes, do apoio dos policiais civis e da comunidade que reside na região, nesta terça-feira (16), o Sindicato dos Policiais Civis de Mato Grosso do Sul (Sinpol-MS) esteve na delegacia de Miranda manifestando contra a situação deplorável em que está a unidade e reivindicado a interdição do prédio. Por esta razão, é avaliada a possibilidade de mobilizar os policiais civis da DP local para que não preste nenhum atendimento policial até que a unidade seja interditada.

No dia nove de agosto, onze presos fugiram da unidade e danificaram toda a estrutura do prédio, desde as celas até a porta da frente. “Não há as mínimas condições para que os policiais civis trabalhem aqui e tampouco de custodiar presos. As celas estão todas danificadas, as grades são frágeis e até os cadeados os policiais civis tiveram que comprar. Não há condições nem mesmo de atender ao público”, declarou o presidente do Sinpol-MS, Giancarlo Miranda.

O Sinpol-MS informou a situação a todas as autoridades competentes sobre a situação e solicitou a interdição do prédio. Foram oficiados: Delegacia-Geral de Polícia Civil, Sejusp, Coordenadoria das Varas de Execução Penal de MS (COVEP), Ministério Público, OAB-MS seccional Miranda.

A custódia de presos nas delegacias está se agravando, embora haja a promessa da retirada dos presos até dezembro de 2018. A Agepen deverá apresentar neste mês um planejamento para o início da retirada dos presos.

 “Há diversas unidades em situação emergencial e que não podem mais aguardar para que este estudo seja avaliado e colocado em prática. Não podemos esperar que outro policial civil pague com a sua vida a demora na resolução deste problema pelas autoridades competentes. A manifestação de hoje foi para conscientizar os moradores da região de que, caso a situação persista, eles também poderão ser vítimas desse descaso quando novas fugas ocorrerem”, afirmou o sindicalista.

Fonte: Da Redação


Deixe seu comentário