Devido ao próximo feriado prolongado, que aumenta significativamente o número de pessoas presentes nos rios nos últimos dias de pesca aberta, a PMA começa nesta quinta (27) a “Operação Dia de Finados”, envolvendo 362 policiais. A exemplo da Operação Padroeira do Brasil, ocorrida no último feriado, todo o efetivo administrativo será utilizado na operação que se encerra em 3 de novembro.
 
No mês de outubro é comum ocorrer o aumento do número de turistas de outros estados e a própria população do Estado nos rios praticando pesca, especialmente em feriados. O aumento dos pescadores não se dá somente por ser o último mês de pesca, mas porque os cardumes já começaram a se formar para a piracema e a captura é mais fácil. Em virtude da situação, é comum a Polícia Militar Ambiental manter o patrulhamento reforçado, com a finalidade de se prevenir a pesca predatória e, desde o dia 1º de outubro, realiza a operação pré-piracema.
 
Repressão ao Tráfico de Papagaios 
 
Durante a operação será dada atenção especial ao crime de tráfico de animais silvestres, em virtude deste período crítico relativo ao tráfico de papagaios. De setembro a dezembro é o período de reprodução do papagaio que é a espécie mais traficada no Estado.
 
A PMA realiza no período trabalhos preventivos nas propriedades rurais, por meio de informação da legislação e Educação Ambiental, visto que o modus operandi principal dos traficantes é de aliciamento dos sitiantes e funcionários de propriedades rurais, para que retirem os animais e os avisem para compra. Muitas pessoas fazem isto, às vezes, sem saber que estão cometendo crime ambiental.
 
A região mais problemática  é a situada nos municípios de Jateí, Batayporã, Bataguassu, Ivinhema, Novo Horizonte do Sul, Anaurilândia, Santa Rita do Pardo, Nova Andradina e Brasilândia, além de Naviraí e Mundo Novo.
 
As subunidades da PMA que cobrem estas áreas estarão monitorando o movimento dos traficantes. Em princípio, para evitar que as aves sejam retiradas e, para reprimir prendendo os elementos, quando não é possível evitar a retirada dos animais.
 
Outros crimes ambientais serão combatidos e prevenidos, tais como: desmatamento e carvoarias irregulares, com visitas às propriedades rurais, transporte ilegal de produtos perigosos, além de combate a todos os crimes contra a fauna e flora.
 
Quatro equipes da sede (Campo Grande) estarão itinerantes, fiscalizando todos os tipos de crimes e infrações ambientais, em contato com as equipes de rios, para a movimentação de presos e materiais para as delegacias, caso aconteçam prisões em flagrante. Efetivo da sede e de outras subunidades será deslocado para a área crítica do tráfico de papagaio.
 
Os comandantes das 25 subunidades empregarão todo o efetivo no trabalho de fiscalização em suas respectivas áreas de atuação.
 
Operação Passada
 
Durante a operação Dia de Finados de 2015 foram autuadas 24 pessoas por crimes e infrações ambientais, sendo 19 presas por pesca predatória e uma por falta de licença de pesca, o que não é crime. Duas pessoas autuadas por exploração irregular de madeira, uma por degradar matas ciliares ao construir represa ilegalmente e uma por funcionar atividade avícola ilegalmente.

Deixe seu comentário