Depois do leite ficar 17% mais caro, chegou a vez do ovo integrar a lista dos alimentos que estão com os preços elevados. A caixa com 360 ovos tamanho grande, teve aumento de 21% em relação ao ano passado, o maior já registrado nos últimos seis anos, de acordo com pesquisa realizada pela Ceasa/MS (Central de Abastecimento de Mato Grosso do Sul).

O aumento no preço da saca do milho é o principal responsável por essa média histórica, já que o grão é o principal insumo da ração utilizada na avicultura.
Em 2015, o preço da caixa de ovos grande era vendido por R$ 77,32, agora sai por R$ 94,06, o maior preço dos últimos seis anos, recorde histórico, segundo o diretor-administrativo da Camva (Cooperativa Agrícola Mista de Várzea Alegre), Issao Kurokawa.

"O principal motivo é o cenário dos grãos. Desde janeiro deste ano até agora tivemos uma alta absurda no preço do milho. Com isso houve um aumento da ração animal e consequentemente foi preciso repassar ao consumidor e para a produção", diz ele ao lembrar que em agosto do ano passado, o preço da saca de milho era de R$ 19 e hoje custa R$ 39.

Expectativa - Mato Grosso do Sul é um dos maiores produtores de milho, porém devido as condições climáticas desfavoráveis a quebra de safra neste ano será grande. A Conab (Companhia Nacional de abastecimento) estima que a produção de milho safrinha será 26% menor este ano.

"Se teve quebra não tem oferta de milho e apesar das ações do governo, acredito que não há perspectiva para que os preços baixem. Se o país colhesse bem o milho, até poderiamos ter alguma esperança dos preços baixarem", afirma o produtor.

Preços - Segundo levantamento do Nepes (Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais), o preço de uma dúzia de ovos no ano passado era de R$ 4,87, neste ano o valor teve aumento de 27,10% e chega a ser vendido nos supermercados da Capital por R$ 6,19.  

No mercado Telles, localizado no bairro Santa Fé, o preço da dúzia do ovo grande sai por R$ 3,80. Já no mercado Goiaba, no bairro Monte Castelo o preço do ovo branco sai por R$ 6,50. De acordo com a vendedora Janaina Francelino, as vendas se mantiveram estáveis até agora. "Há três meses o preço do ovo está saindo por esse valor e por enquanto os clientes não estão reclamando, e as vendas se mantiveram estáveis".

No Mercado Municipal, é possível encontrar a dúzia por R$ 7. De acordo com Maria Silva, que trabalha há 15 anos no local, a variação nos preços é constante. Porém ela afirma que a mercadoria tem alta rotatividade. "Tem época que o preço está maior como agora, mas a mercadoria tem alta rotatividade e ás vezes chego a comprar duas vezes na semana com o fornecedor".

Produção - Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no primeiro trimestre de 2016 a produção de ovos de galinha no país foi de 748,87 milhões de dúzias. Um aumento de 6% se comparado ao mesmo período no ano passado. A produção registrada no primeiro trimestre de 2016 foi a maior dentre os primeiros trimestres, e a segunda maior dentre todos os trimestres desde 1987.

Já em Mato Grosso do Sul, a produção diária de ovos é de 700 mil, de acordo com o diretor da Camva. Essa produção abastece além de todo o Estado, uma parte de Mato Grosso e São Paulo.

Ainda segundo o IBGE, a região Sudeste é a que produz mais ovos, 48,2%. O Centro-Oeste participa com 12,9% da produção nacional, com destaque para os estados de Goiás (5,6%) e de Mato Grosso (5,4%). Segundo Issao há 15 anos os grandes produtores do Brasil decidiram instalar granjas em Mato Grosso em razão do baixo custo no preço do milho e da soja. Fato que favoreceu o estado se tornar um dos grandes produtores de ovos no país.

Fonte: Fernanda Yafusso e Marcus Moura


Deixe seu comentário