O governo do Estado está investindo na estruturação de núcleos industriais existentes em Campo Grande, Dourados e Três Lagoas a fim de proporcionar competitividade às indústrias já instaladas nesses locais e condições atrativas para a vinda de  novos empreendimentos.  “Muitas das empresas que foram atraídas pelo Estado em outras épocas encontram-se instaladas em núcleos sem a devida estrutura, por isso é necessário fazer adequações. Hoje em dia não podemos pensar em núcleos industriais sem uma infraestrutura adequada de asfaltamento e drenagem. São condições fundamentais para atrair novas empresas e dar mais competitividade para quem já está instalado”, informa o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck.
 
Em agosto deste ano o governo do Estado deu início às obras de pavimentação e drenagem de águas pluviais de 1,4 quilômetros de ruas do Polo Industrial Norte, em Campo Grande. “Atendemos a essa demanda do setor industrial e em três meses de trabalho já temos 50% da obra concluída, segundo a Agesul. Como é uma área na qual não é mais possível a instalação de novas empresas, a pavimentação e acesso à rodovia vão dar mais competitividade às indústrias que já operam na região”, afirma Jaime Verruck.
 
Ainda em Campo Grande, a Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico (Semade) iniciou os estudos para a revitalização do Núcleo Industrial do Indubrasil.  “É uma ação fundamental em função do investimento da ADM no local e necessária para viabilizar a atração de novos empreendimentos para a Capital. Esses estudos estão sendo realizados graças ao FAI (Fundo de Apoio à Industrialização), gerenciado pela Semade, que é específico para dar competitividade às empresas e com um escopo bastante amplo de atuação”, disse o secretário.
 
No mês de setembro, em Dourados, o governador Reinaldo Azambuja assinou a ordem de serviço para as obras de pavimentação asfáltica e drenagem de águas pluviais no Núcleo Industrial e do acesso ao Polo Industrial de Dourados.  A obra, orçada em R$ 11,1 milhões, atende às reivindicações feitas pelos empresários em julho do ano passado e já está 12% concluída, segundo a Agesul.
 
O núcleo em Dourados é de responsabilidade do governo do Estado e atualmente é gerenciado pela Semade para a regularização das áreas que já foram doadas. “A Coamo inicia as obras de uma esmagadora de soja em 2017 e indústrias que pretendem ampliar suas unidades. Melhorar a infraestrutura do local vai reduzir custos, melhorar o transporte de funcionários e da matéria-prima”, lembra Jaime Verruck.
 
Já no mês de outubro, em Três Lagoas, o governador Reinaldo Azambuja solicitou à Semade a realização de estudos para atender à demanda apresentada pelas empresas instaladas no Núcleo Industrial. “Foi solicitada a pavimentação de um acesso com cerca de 1 km de extensão que sai da BR-158 até o aeroporto da cidade. É um acesso que ficou bastante movimentado após a conclusão da rotatória na rodovia e para o qual o governador nos pediu que, além de um asfalto apropriado, seja planejada a construção de uma ciclovia para dar segurança aos trabalhadores. Os estudos já foram concluídos pela Semade e entregues à Agesul”, finalizou o secretário.

Fonte: Governo do MS


Deixe seu comentário