Banda Jota Quest realiza show na capital
Em setembro o Sesc completa 70 anos. Para celebrar a data, no dia 11 de setembro, traz para Campo Grande shows com as bandas Jota Quest, Bella Xu e Curimba. A comemoração será no Parque das Nações Indígenas em Campo Grande, a partir das 15h, e a participação do público é gratuita.
 
A arena central do Parque das Nações será tomada por ações demonstrativas das áreas de atuação do Sesc – Educação, Saúde, Lazer, Cultura e Assistência, onde o público poderá conhecer as ações desenvolvidas pelo Sesc no estado. Além dos shows, o grupo de percussão do Sesc Lageado e a Orquestra de Viola Caipira do Sesc Corumbá, participam da programação.
 
Em 2016, o Sesc comemora 70 anos promovendo transformações em todo o país. "Tudo para que milhões de brasileiros tenham a oportunidade de viver e ver a vida de um jeito novo. É por isso, que queremos promover um dia cheio de atrações, proporcionando o acesso dos trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo, além dos usuários nas ações do Sesc.

Acreditamos que realizar uma grande comemoração junto ao público sul-mato-grossense, seria um grande presente de aniversário para aqueles que motivam o comércio de Mato Grosso do Sul", comenta a diretora regional do Sesc, Regina Ferro.
 
Entre as atrações, o Sesc traz a banda Jota Quest, que também celebra seu aniversário de 20 anos de sucesso. A banda mineira está na estrada com seu novo espetáculo "Pancadélico Tour 2016". O novo show mergulha na atmosfera dançante das 'festas soul' dos anos 70 e 80, estilo que marcou a chegada do grupo mineiro a cena pop-rock no final dos anos 90.
 
Outro presente para o público, será a banda Bella Xu, banda criada em um cenário musical predominado pelo sertanejo, porém, influenciada pelo rock. A prova de que a aposta deu certo, foi a participação da banda na terceira edição do Programa Superstar (Rede Globo) onde receberam diversos elogios dos Jurados.
 
As comemorações contam ainda com os meninos da banda Curimba, que voltaram às apresentações este ano. Fazendo um som com muita identidade, passeando entre o Rock, Samba, Rap.

Em suas letras, relata o cotidiano do brasileiro com a voz rasgada de André Stábile, que assina praticamente todo repertório do disco que foi gravado em 2010 e nunca foi lançado por conta de um longo período de pausa da banda.

Fonte: Da Redação


Deixe seu comentário