Começa no dia 16 de agosto, terça-feira, a 10ª edição da Semana Pra Dança, com workshops, debates e espetáculos de dança com entrada franca. A realização é da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, em parceria da Câmara Setorial de Dança de Campo Grande.
 
A intenção é apresentar à comunidade um recorte do que é produzido no Estado, com espetáculos e coreografias das diversas linguagens da dança, além de oficinas, exibição de vídeos, debates e rodas de conversas. Além das apresentações regionais, haverá também convidados nacionais fortalecendo o intercâmbio entre os artistas.
 
Foram selecionados seis espetáculos do MS: "Tem Trem?", do grupo Funk-se; "Se Você Me Olhasse Nos Olhos", da Ginga Cia de Dança; "Matilha", da Expressão de Rua; "EntreNós", da Cia Verso; Hérédité, da Isa Yasmin Cia de Dança e "De Passagem", da Cia Dançurbana.
 
Haverá duas atrações nacionais, o Kahal, de dança de rua, de Jundiaí (SP), que vai apresentar o espetáculo "Gravidade" e ministrará duas oficinas e Elizabeth Finger, do Rio Grande do Sul, que apresentará o espetáculo "Buraco", em circulação pelo Prêmio Funarte Klauss Viana 2014. O espetáculo, que terá duas apresentações, é de dança contemporânea direcionada ao público infantil. Elizabeth Finger também ministrará uma oficina durante a Semana.
 
Com o intuito de levar o evento para os bairros e pensando em agregar os agentes da dança que atuam em academias, projetos, grupos amadores e os grupos de danças populares, será realizada a Mostra Aberta no bairro Coophavila II, na Associação de Moradores Amoc II.

Quarenta grupos/academias, sendo quatro do interior – dois de Corumbá, um de Aquidauana e um de Dourados – apresentarão coreografias das diversas linguagens da dança durante dois dias do evento na Associação. Os grupos se apresentarão também em espaços alternativos da cidade, durante o dia, para promover a divulgação do evento.
 
A crítica de dança Adriana Pavlova que atua como crítica no Jornal O Globo no Rio de Janeiro, vai acompanhar os espetáculos e elaborar um texto com o objetivo de pensar e refletir o que se é produzido pelos artistas em questão.
 
Além das oficinas que serão ministradas pelos convidados nacionais e as ações complementares oferecidas pelos grupos regionais selecionados haverá as mesas de discussões, pensando na criação do Colegiado Setorial de Dança do Estado. O primeiro encontro, "Colegiado Nacional de Dança", pretende esclarecer como este atua e sua importância.

Participam Bia Mattar, de Santa Catarina, representante da macrorregião sul no Colegiado Setorial Nacional de Dança desde 2013, representante titular de dança no Conselho Nacional de Políticas Culturais do Ministério da Cultura (gestão 2015/2017); Fabiano Carneiro (RJ), coordenador de dança da Funarte, e Marcos Mattos (MS), representante estadual de dança no Colegiado Setorial Nacional de Dança.
 
O segundo Encontro, "Difusão e Rede em Dança", tem o objetivo de difundir o que se produz em nosso Estado e fomentar a circulação de dança da região Centro Oeste. A ideia é discutir e estimular a criação de redes e parcerias para a realização de eventos que contribuam para tais ações.
 
Durante as discussões do terceiro encontro, "Plano Setorial de Dança em processo: O ensino da dança nas academias, projetos e cursos livres & As danças Populares", pretende-se ouvir os pontos fortes e fracos no ensino e na atuação da dança nas academias, projetos, cursos livres e nos grupos de danças populares para compor as ações do plano setorial de dança de MS que segue em construção.

O quarto e último encontro discutirá e criará o Colegiado Setorial de Dança de Mato Grosso do Sul.

Fonte: Da Redação


Deixe seu comentário