O efeito cascata gerado pelo agravamento da recessão econômica nacional atingiu em cheio os postos de combustíveis de Mato Grosso do Sul. Se por um lado a indústria freou a produção, o que reduziu a quantidade de fretes, do outro o consumidor brasileiro também precisou readequar seus hábitos de consumo. O resultado foi o fechamento de 26 postos de combustíveis em todo Estado nos últimos 18 meses, segundo estimativa de Edson Lazaroto, gerente executivo do Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, Lubrificantes e Lojas de Conveniência (Sinpetro) de Mato Grosso do Sul. 
 
O número corresponde a praticamente um estabelecimento encerrando atividades a cada 30 dias no Estado. A metade deles está concentrada em Campo Grande. Somente na Capital, foram  13 estabelecimentos fechados, sendo que muitos deles suspenderam operações no ano passado, segundo o gerente executivo.
 
Lazaroto explicou que, com exceção do aumento dos combustíveis – que impacta a todo o setor -, os motivos para o esvaziamento do setor variam de acordo com a localização. Nas rodovias, por exemplo, as causas estão relacionadas à queda na produção industrial e, consequentemente, no movimento dos caminhões.

Fonte: Correio do Estado


Deixe seu comentário