Prova acontece no domingo, com largada às 7h, no Porto Geral (Foto: Marcos Boaventura)
Reconhecida como uma das provas mais difíceis do País, o percurso do Mountain Bike será ainda mais desafiador nesta edição do Pantanal Extremo. Para os competidores da categoria Pro (elite), são 102 quilômetros de muitas subidas, descidas, terra, lama, asfalto e até água.
 
“É o trajeto mais difícil de todas as quatro edições do Pantanal Extremo”, afirmou o presidente da Federação de Ciclismo de Mato Grosso do Sul (FMSC), Carlos César Gimenes. Vinte competidores estão inscritos na elite. Os favoritos são Gesiel Nunes e Mario Oliveira, ambos de Goiânia, além dos bolivianos David Almanza e Alejandro Salazar.
 
A previsão é que os primeiros colocados cruzem a linha de chegada 4 horas após a largada. A altimetria total da corrida é de 2.30 metros. Já na categoria Sport, o percurso é menor. Ainda assim, os 65 quilômetros da prova vão exigir muita técnica e força dos competidores. “Para a maioria dos corredores, só cruzar a linha de chegada já é uma vitória”, explicou Carlos Gimenes.
 
Ao todo o MTB vai reunir 500 ciclistas de várias partes do Brasil. Todo o percurso será realizado com apoio do Exército, da Marinha, da Polícia Rodoviária Federal (PRF), da Polícia Rodoviária Estadual de Mato Grosso do Sul (PRE/MS), pela Agência Municipal de Trânsito e Transporte (Agetrat) e pela Guarda Municipal de Corumbá.
 

Fonte: Assessoria


Deixe seu comentário