Fabio juntamente com Valdevino, bombeiro q salvou sua vida
O técnico em radiologia médica do Hospital Regional de Aquidauana Fábio Lopes de Paula, 37, passou maus momentos engasgado com um pedaço de carne, na noite deste sábado, 29. “Quase morri!”, lembra. Ele, a esposa Andreia Oliveira e os filhos, estavam no Espetinho do Gamarra, quando, por voltas das 21h30, ao comer um espetinho de carne,  se engasgou e parou de respirar.

“Minhas vias respiratórias ficaram bloqueadas, tive a sensação que estava com um saco justo amarrado na cabeça, não conseguindo respirar”, disse. Depois de não conseguir êxito na tentativa de desobstrução das vias aéreas, Fábio saiu de forma atabalhoada, derrubando mesa e cadeiras, na busca de socorro. As pessoas que estavam no local não entenderam a gravidade da situação, mas uma mulher entre elas acabou pedindo socorro. Estavam também no ambiente o cabo Valdevino  Ferreira da Silva e o 1º Sargento Magnaldo Toledo, que prontamente se manifestaram. O primeiro no atendimento a vítima e o segundo no controle das pessoas que estavam atordoadas.

Durante a intervenção, o cabo bombeiro fez uso da Manobra de Heimilich, método de desobstrução das vias aéreas superiores por corpo estranho. A técnica foi usada pela primeira vez pelo médico americano Henry Heimlich, em 1974. Ela induz uma tosse artificial, que ajuda a expelir o objeto da traqueia de uma vítima, após manobra com as mãos para fazer pressão sobre o músculo do diafragma. Dr. Paulo de Tarso Ribeiro, ouvido pelo Pantaneiro, destaca que “este movimento comprimi os pulmões e faz pressão sobre qualquer objeto estranho na traqueia”.

Entre as pessoas que acompanharam o incidente o sentimento predominante foi de orgulho pelo profissionalismo dos agentes que interviram.  Fábio, por seu turno, respira aliviado e avalia a preciosidade desta dádiva, depois da experiência traumática de ficar entre 20 e 30 segundos sem conseguir fazê-lo. “Foi desesperador”, destaca.

No momento a esposa de Fábio, Andréia Oliveira, que é enfermeira, ficou desesperada e  começou a chorar por ver Fábio sem ar, o esposa também do bombeiro Valdevino também começou a chorar por achar q seu marido não conseguiria salvar Fábio. Porém o sargento Toledo, manteve a calma de todos e Valdevino executou o procedimento com eficiência e salvou Fábio.

Valdevino não ia no Espetinho do Gamarra a mais ou menos uns 5 anos e naquele dia resolveu ir.

Fábio compareceu na corporação do Bombeiros de Aquidauana para pessoalmente agradecer pelo salvamento de sua vida!

Procedimento aconselhado

Segundo especialistas, é importante que as pessoas cortem bem os alimentos, mastiguem direito e comam com tranquilidade. Isto evita problemas como o enfrentado por Fábio. No caso do ato consumado, ou seja, do engasgamento, é preciso realizar a “Manobra de Heinlich”, que consiste em abraçar a vítima, com o punho fechado, e realizar compressões com elevações, usando bastante vigor. Uma dica é tentar jogar a pessoa para cima.

Fonte: Da Redação


Deixe seu comentário