Entre o final de agosto e o começo de setembro, a CCR MSVia entregou ao CRAS – Centro de Reabilitação de Animais Selvagens,  para tratamento e reabilitação, três serpentes encontradas durante o trabalho de preparação do ambiente das obras de duplicação da BR-163/MS.

As espécies foram encontradas na altura dos kms 682,2  e 684,4 (Rio Verde de Mato Grosso), às margens da rodovia, na área que será utilizada para implantação da nova pista. 
 
Segundo Michel Klaime Filho, gestor de Meio Ambiente da CCR MSVia, foram entregues ao CRAS duas Jibóias (Boidae) e uma Falsa Coral (Siphlophis compressus), resgatadas pela técnica responsável por esse trabalho na região, a médica veterinária Maíra Cristina Nogueira, da empresa de consultoria GEOTEC, que atua no plantão do acompanhamento de obras.
 
"Esse tipo de trabalho tende a ser cada vez mais frequente, visto ainda estarmos em região com menos vegetação nativa. O convênio firmado entre a Concessionária, o e o Instituto do Meio Ambiente do Mato Grosso do Sul, Imasul, e o CRAS, em março, nos traz maior tranquilidade, visando o resgate seguro, eventual tratamento dos animais e devolução à natureza", diz o engenheiro.
 
Klaime Filho destaca que essa ação é prevista pelo Programa de Proteção à Fauna, previsto pela Licença Ambiental das obras de duplicação da BR-163/MS emitida pelo Instituto Brasileiro de Recursos Naturais Renováveis (IBAMA).
 
"O Programa prevê duas frentes de trabalho de responsabilidade da Concessionária: uma, o Afugentamento e o Salvamento de Fauna; outra, o Monitoramento e a Mitigação de Atropelamento de Fauna", explica o engenheiro. "Cabe à CCR MSVia viabilizar a reabilitação, o tratamento e devolução à natureza da fauna capturada ou atropelada, e o CRAS é a única unidade no Estado legalmente instituída para esse fim".

Fonte: Da Redação - Com informações assessoria CCR MSVia


Deixe seu comentário