Ex-prefeito de Campo Grande na mira do MPE.
A Segunda-feira começou movimentada em Campo Grande, isso por que o Ministério Publico de Mato Grosso do Sul, por meio do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) cumpriu nesta manhã (15) quatro mandados de prisão preventiva. 
 
Os mandados foram expedidos durante as investigações criminais, realizadas pelo Gaeco, que apuram os crimes de lavagem de dinheiro, associação criminosa e falsidade ideológica. Os mandados são direcionados ao ex-prefeito de Campo Grande Gilmar Olarte, à sua esposa Andréia Olarte, a Evandro Simões e a Ivamil de Almeida.
 
Além dos mandados de prisão preventiva, ainda foram expedidos mais seis mandados de busca e apreensão dedicados à residência do casal Olarte, à empresa ‘Casa da Esteticista”, que pertence a Andréia Olarte, ao escritório e à residência de Ivamil de Almeida “Ivamil Eventos Consultoria LTDA”, e também ao endereço comercial e residencial de Evandro Simões.
 
Os acontecimentos dessa manha estão ligados à operação Adna, que investiga Gilmar Olarte por corrupção passiva. Toda a investigação teve inicio depois que Andréia Olarte realizou compra de vários imóveis em Campo Grande, por vezes utilizando-se do nome de Evandro Farinelli, e contando com a ajuda do corretor de imóveis Ivamil de Almeida, que também é braço direito do casal. 
 
Durante as prisões o Casal Olarte negou os crimes, mas foram encaminhados a delegacia para maiores esclarecimentos.

Fonte: Pedro Neto


Deixe seu comentário