Após onze dias internado na Santa Casa de Campo Grande, o adolescente que sofreu uma agressão depois de uma “brincadeira” com uma mangueira de compressor no lava jato onde trabalhava morreu na Santa Casa de Campo Grande.
 
De acordo com a assessoria do hospital, o adolescente morreu por volta das 13h45 desta terça-feira (14). A causa da morte foi choque hipovolêmico, que é a perda de grandes quantidades de sangue e líquidos, seguido de uma parada cardiorrespiratória. Os médicos ainda tentaram reanimá-lo durante 45 minutos, mas o adolescente não resistiu. 
 
O hospital havia informado que após uma piora no seu quadro clínico devido a uma lesão grave no esôfago, o adolescente havia voltado para o CTI (Centro de Terapia Intensiva). A informação era de que ele havia voltado para a área vermelha, onde ficam pacientes em situação mais delicada. 
 
Relembre o caso
 
Ele foi internado as pressas no dia 3 de fevereiro após o patrão e um colega de trabalho fazerem uma “brincadeira” com uma mangueira de compressor de ar, que atingiu o ânus e acabou entrando ar no corpo do adolescente. Após ser levado para a Santa Casa da Capital, ele teve que ser submetido a uma cirurgia para retirada de 20 centímetros do intestino. 
 
O caso chocou a Capital, já que os suspeitos Thiago Giovani Demarco Sena e Willian Larrea trabalhavam com o jovem no lava-jato. A situação que foi tratada por eles como uma brincadeira, virou caso de polícia e a família está bastante apreensiva. 
 
Apesar da advogada Katarina Viana, que representa a família ter solicitado que o caso fosse enquadrado como tentativa de homicídio, o delegado responsável pelo caso Paulo Sérgio Lauretto, da DPCA (Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente), afirmou que o indiciamento será por lesão corporal grave.

Fonte: JD1


Deixe seu comentário