Professores fizeram manifestação durante o desfile no aniversário da cidade
Servidores municipais de Aquidauana se reúnem nesta segunda (26) para decidir se entram em greve geral na próxima semana. Com o salário escalonado pela prefeitura, eles pedem o pagamento imediato dos valores referentes a agosto.
 
O atraso e escalonamento salarial é um problema que se estende há meses, porém a situação tem se agravado há 19 dias, segundo uma servidora que pediu para não ter sua identidade revelada, com medo de retaliações.
 
Segundo ela, o Sinprecam (Sindicato dos Servidores da Prefeitura e Câmara de Aquidauana) realizou uma assembleia no dia 16 de setembro para exigir o cumprimento da deliberação da Lei nº 2297/2013. O pedido é para que seja realizada a reposição salarial, atrasada desde janeiro deste ano, mês inclusive que deveria ter sido implantado o reajuste de 11,36% ais vencimentos.
 
Na segunda-feira (26) às 17 horas será realizada uma assembleia para deliberar uma greve dos servidores do município, pois até o momento alguns efetivos não receberam o pagamento. "Se não tivermos uma resposta do prefeito na segunda, iremos entrar em greve", afirma a servidora.
 
Em ofício enviado pelo Sinprecam em 23 de setembro ao prefeito de Aquidauana, os servidores afirmam que o atraso salarial tem originado diversos problemas aos servidores, como por exemplo trabalhadores passando fome junto com sua família, desmotivação para compararecer ao local de trabalho, e o fornecimento de água e luz interrompidos por falta de pagamento.
 
Servidores informaram também ao MP (Ministério Público) sobre a situação do atraso salarial. "Aldeias estão sem aula pois os veículos estão sem combustível para levar os professores até o local para trabalhar. Internet no posto de saúde e máquina de xerox estão sem uso por falta de pagamento por parte da prefeitura. Após as manifestações estamos sendo perseguidos e existem inclusive cortes na folha de ponto", desabafa a servidora que pediu para não
ter a identidade revelada.
 
Em documento protocolado e enviado ao MP pelos servidores, os gestores alegam que a arrecadação dos recursos estão diminuindo a cada mês, devido a crise econômica no país.
 
Porém, no documento enviado ao MP, os servidores alegam que os repasses do ICMS para o município de Aquidauana durante o primeiro semestre de 2016, segundo o Portal da Transparência, chega a R$ 31 milhões.
 
De acordo com o funcionário da saúde, que também pediu para não ter a identidade revelada, a prefeitura não chegou de realizar o pagamento de 50% dos funcionários. "Apenas alguns servidores do município da saúde e os efetivos e contratados da gerência de Obras receberam. Já os demais efetivos, contratados e comissionados ainda não receberam os salários de agosto".
 
Ainda de acordo com o servidor da saúde, o prefeito informou que a categoria precisa esperar até o final das eleições para que seja oferecida uma resposta por parte do município.
 
Professores - Além disso, o Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação de Aquidauana) também indicou greve geral caso não haja pagamento no 5º dia últil dos salários dos professores, no dia seguinte a categoria irá paralisar as atividades no município.

Fonte: Fernanda Yafusso - Campo Grande News


Deixe seu comentário