Piloto de Aquidauana escapou de tragédia.
Alteração na escala de voo poupou o piloto Aquidauana Lucas Medeiros Catafesta, 22 anos, da tragédia ocorrida nesta madrugada com o avião que transportava a delegação da Chapecoense, jornalistas e outros passageiros. Se o voo tivesse seguido de Guarulhos (SP) para Corumbá ou Puerto Suárez, como previsto, o jovem muito provavelmente seria escalado como copiloto-assistente. Felizmente para ele, não foi o que aconteceu.

De acordo com o site Campo Grande News, ele já havia prestado serviços em outras ocasiões para a Lamia, como no dia 17 de outubro, quando auxiliou na condução da delegação da Chapecoense de Puerto Suarez até Barranquilla, para jogo das quartas-de-final de Copa Sul Americana. Desta vez, a escala saiu de Guarulhos e foi para Santa Cruz de La Sierra (BOL), por isso, outros copilotos foram acionados ao invés do aquidauanense.

A expectativa desta vez era de que a equipe desembarcasse em Corumbá, e seguisse de ônibus até Puerto Suárez - como fez recentemente após jogo do Brasileirão - onde novamente embarcaria em voo da Lamia como em 17 de outubro, oportunidade em que Lucas seria copiloto-assistente a partir de Puerto Suarez. Conforme já noticiado, o avião com a equipe de Santa Catarina caiu nas imediações de Medelim, na Colômbia, onde haveria o primeiro jogo da final da Sul-Americana.
 

Fonte: Da Redação


Deixe seu comentário