Autoridades reunidas para tentar salvar hospital.
Responsável por realizar cirurgias eletivas e internações clínicas na cidade de Aquidauana, o Hospital Funrural enfrenta grave crise financeira e corre risco de fechar as portas. Há cinco não há reajuste no valor de procedimentos do Sistema Único de Saúde (SUS) e, atualmente, a unidade de saúde recebe apenas R$ 2.700 da prefeitura, valor insuficiente para ajudar na manutenção das despesas. A situação é tão crítica que até mesmo o centro cirúrgico, construído para realizar procedimentos por vídeo, não funciona completamente.
 
Hoje pela manhã, o diretor da entidade, Eulálio Barbosa, esteve reunido com 11 vereadores em busca de uma solução para amenizar o problema. Segundo ele, a saúde deve ser tratada como prioridade, "para ontem", e espera que a situação seja regularizada, pois até mesmo o pagamento de funcionários tem sido afetado. "A conta não fecha. Se não for para prestar um atendimento de qualidade, com todos os recursos disponíveis para o paciente, prefiro fechar as portas", disse o diretor que hoje lida, inclusive, com a escassez de medicamentos.
 
O vereador Agnaldo da Saúde participou do encontro. De acordo com ele, foi definido que uma comissão irá agendar encontro com o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, para tratar a respeito de convênios. Agnaldo explicou ainda que durante a gestão Fauzi Suleiman, a prefeitura passava R$ 33 mil mensais ao hospital. Já na passada, de José Henrique Trindade, o convênio foi cancelado, retornando agora com o prefeito Odilon Ribeiro, mas apenas com R$ 2.700. "A gente sabe que a prefeitura também está com dificuldades, e veremos o que pode ser feito".
 

Fonte: Da Redação


Deixe seu comentário