foto ilustrativa
A história parece roteiro de novela, mas não é. Trata-se da realidade de cinco irmãos aquidauanenses, que foram criados por seus respectivos pais. Nossa reportagem optou por usar pseudônimos, para preservar a vida principalmente da mãe que vamos chamar de Lucia.
 
Os filhos, João e Juca e as filhas Joaquina, Joana, Jurema, três de um mesmo pai e outras duas de outro pai.
 
Lucia na época casada com José (nome também fictício) sempre seguia de trem para Bolívia, assim como o esposo, para lá trabalhar e assim sustentar sua família. Conforme relatos de um dos filhos o casal se revezava para poder trabalhar e o outro cuidava dos filhos.
 
"Um dia acordamos e não a encontramos mais, ela saiu com a roupa do corpo e uma mala contendo roupas também", contou o filho mais novo.
 
Os cinco irmãos nunca perderam contato entre si e sempre que podiam estavam reunidos em Aquidauana. A vida seguiu um pouco diferente das demais crianças da vizinhança e da escola, o pai fez os dois papéis.
 
Assim sendo depois de formados, pais e mães de famílias, certo dia receberam uma ligação do outro lado da linha uma tia anunciou: "a mãe de vocês está aqui, venham ver, ela apareceu".
 
Imagine você recebendo uma ligação dessas depois de 15 anos sem contato ou notícias de sua própria mãe.
 
Juca contou a nossa reportagem que em primeiro momento houve espanto, seguido de um sentimento estranho e logo começaram a se ajeitar para ir ao reencontro, enquanto a irmã caçula resistia, até que a convenceram e todos seguiram ao reencontro.
 
A emoção era grande na casa da tia e a mãe os aguardava, da conversa apenas contou que continua trabalhando na Bolívia e nada mais. Filhos não questionaram o porquê e a mãe não comentou porque teria sumido durante décadas.

Fonte: Da Redação


Deixe seu comentário