Rotai aborda suposto suspeito com a camiseta do Corinthians
Durante o desfile de 7 de setembro em comemoração à Independência do Brasil, o que mais chamou a atenção dos aquidauanenses não foi o evento em si, mas sim uma apresentação realizada pela equipe da Rondas Ostensivas Táticas do Interior (Rotai), da Polícia Militar.

Na oportunidade, a polícia simulou uma abordagem a um homem que estava vestindo a camiseta do Corinthians, fato que causou desconforto aos torcedores, pois se sentiram alvo de preconceito. Eles consideraram que a atitude ajuda a reforçar o falso estigma de que todo corintiano está ligado ao crime.
 
De acordo com o Coronel Furtado, do 7º BPM, de Aquidauana, não houve má fé por parte da corporação. A decisão de se utilizar uma camiseta do Corinthians foi uma forma de homenagear os torcedores.

"A ideia surgiu como uma forma de homenagear o subcomandante Major Daniel, que é torcedor fanático, e o pessoal da Rotai decidiu fazer essa homenagem sem nenhum tipo de má intenção. Infelizmente houve essa repercussão negativa. Pedimos desculpas por essa situação e afirmamos que não houve nenhum tipo de má fé".
 
Já Celso Albuquerque, que faz parte da Rotai e estava vestindo a camiseta do time, explica que foi uma homenagem para o Major, que também joga no time da corporação como atacante. "Nós fizemos uma homenagem para o nosso subcomandante e a minha intenção não foi agredir os torcedores. Foi realizado um sorteio para escolha de quem iria representar o homem que seria abordado e acabei sendo premiado".
 
O Major Daniel, subcomandante do 7º BPM conta que ficou muito feliz ao receber essa homenagem da corporação. "Fiquei muito feliz e até porque nós temos vários torcedores na corporação e foi uma boa oportunidade de homenagearmos a nação corintiana".
 

Fonte: Da Redação


Deixe seu comentário