Prédio se tornou sinônimo de problema na região.
Localizado na região central de Aquidauana, o prédio que um dia foi usado como sede local do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas, hoje é sinônimo de problema para moradores. O imóvel, que pertence à administração municipal, tem sido usado como ponto de despejo de animais domésticos e também como esconderijo para usuários de drogas.  
 
A maior preocupação está relacionada com a presença de animais. Vulneráveis, os bichos são irresponsavelmente deixados lá, com as mínimas condições de sobrevivência. Filhotes, em muitos dos casos, não resistem e morrem. Para tentar amenizar o sofrimento deles, vizinhos distribuem ração e água, quase que diariamente. Além disso, ainda há o problema da reprodução fora de controle.
 
Na manhã de segunda-feira, representante da Gerência de Cultura e Turismo que estava no Museu Pantaneiro, ao lado do prédio, repreendeu uma moradora que deixava água no local. Segundo ele, deveria ser proibido alimentar o animais e estes, por sua vez, nem deveriam estar lá. A discussão ganhou proporção e protetoras compareceram para intervir.
 
Após fervorosa discussão, ficou combinado que, na próxima quinta (16), será feita reunião na Gerência de Cultura e Turismo, com representantes da prefeitura, Centro de Controle de Zoonoses e as protetoras, para juntos, buscarem uma solução, já que essa situação se tornou grave problema de saúde pública.

Fonte: Da Redação


Deixe seu comentário