Reunião entre representantes aconteceu no dia 25 de agosto - Foto: Divulgação/PC
Parceria entre a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) e a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) pode permitir que presos se graduem em cursos de ensino superior, enquanto cumprem penas pelos crimes que cometeram.
 
Na Justificativa dos idealizadores, o ''objetivo é contribuir efetivamente para o reingresso dos apenados ao meio social e ao mercado de trabalho, fornecendo-lhes melhores condições de concorrência''.
 
Conforme o presidente da Agepen, Ailton Stropa, detentos de algumas unidades prisionais já cursam faculdade à distância, por meio de parceria com instituições particulares, cujos pagamentos são feitos pelos próprios presos ou familiares.  
 
Principais eixos sobre o projeto que, se aprovado, entra em execução no próximo ano, foram discutidos em reunião que aconteceu no dia 25 de agosto, em Campo Grande.
 
Nota divulgada pelo Governo diz que representantes da universidade mostraram disponibilidade em oferecer cursos de graduação na modalidade semipresencial (com conteúdos trabalhados via internet e em sala de aula), em presídios que já têm espaços com salas de aula e equipamentos de informática.
 
Outra possibilidade prevista para o ano que vem é a implantação de cursos de graduação à distância. Podendo ser possível expandir o ensino para presos de outras cidades.

“Municípios como São Gabriel do Oeste e Bataguassu já contam com plataforma de cursos on line da UEMS, porém precisamos realizar algumas adequações nas unidades para podermos implementar esse oferecimento”, explica a chefe da Divisão de Educação da Agepen, Rita de Cássia Fonseca.

Fonte: Correio do Estado - Laura Holsback


Deixe seu comentário